Campanha: Janeiro Branco

O que é o Janeiro Branco?

Você já ouviu falar do Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul, certo?

Janeiro Branco é mais uma das campanhas que existem em conscientização e prevenção, dessa vez com foco na saúde mental das pessoas, um assunto de importância extrema.

Ela tem como objetivo chamar atenção para questões relacionadas à saúde mental e emocional das pessoas e das instituições humanas.

 

Por que em janeiro?

É dito que o primeiro mês do ano as pessoas estão mais propensas a pensarem em suas vidas, em suas relações sociais, emoções e sentidos existenciais.

Segundo o site janeirobranco.com.br, eles mencionam que a cor branca é referência a possibilidade de as “pessoas estarem inspiradas a escreverem ou reescreverem as suas próprias histórias de vida como em uma folha ou tela em branco.”

 

Importância da campanha janeiro branco

Ter mais informações através de campanhas com palestras, oficinas, cursos e matérias, ajuda a gerar conscientização e combater tabus.

Além disso, a campanha janeiro branco é uma fonte inesgotável de ações e reflexões sobre um tema que até hoje muita gente prefere não comentar ou não pode comentar, por medo do que outras pessoas possam ter a dizer.

 

Saúde mental

Fale sobre saúde mental, o mundo pede por isso e precisa disso.

Cuidar da mente, é cuidar da vida.

Cuidar da mente não é apenas uma questão de pessoa para pessoa, mas da necessidade de autoridades governamentais e legislativas do mundo entenderem a importância de políticas públicas voltadas para a promoção da saúde mental na sociedade e na vida das pessoas.

Saúde mental não é “coisa de gente louca” como alguns dizem e pensam por aí, e precisa ser falado, tratado, cuidado!

Peça ajuda! Não tenha medo de pedir ajuda de um profissional, se você não puder pagar, saiba que existe atendimento gratuito.

Acesse Mapa Saúde Mental para encontrar serviços públicos de saúde mental disponíveis em todo território nacional, além de serviços de acolhimento e atendimentos gratuitos ou voluntários realizados por ONGs e outros.

 

Você não está sozinho!

 

Fonte: Janeiro Branco

Deixe uma resposta